-


Jornal A Voz da Cidade - 06/01/2021 - Coluna Social Fábio Soares

Novas Sublimes

Foto: Divulgação/João Paulo Cardeal


Fábio Soares

A RH Soluções Artísticas fez, entre novembro e dezembro de 2020, todas as audições para a seleção das cantoras para a nova formação do famoso trio 'As Sublimes', com apoio cultural do Gacemss. As novas integrantes foram apresentadas pelo diretor artístico, Rodrigo Hallvys, e são elas: Ciça Reis, Dudda Olive e Jess Araújo. Agora o trio passará 4 meses frequentando o projeto 'Escola Sublime' para ser lançado na mídia nacional.



Jornal Diário do Vale - 07/01/2021 - Caderno Principal (página 06)


Integrantes da nova formação do trio 'As Sublimes' são anunciadas

Foto: Divulgação/Thiago Giaccomeli



Roberta Caulo


Foram dois meses de audições. Um com audições individuais e o outro já em trios. A RH Soluções Artísticas anunciou em março do ano passado as abertura das inscrições para o processo seletivo que buscava trazer a nova formação do trio ‘As Sublimes’, que fez sucesso nos anos 90 e teve Isabel Fillardis, Karla Prietto, Lilian Valeska e Flávia Santana em suas primeiras formações. Agora, Rodrigo Hallvys, proprietário da RHSA e detentor da marca registrada que leva o nome do grupo, decidiu abrir oportunidade para cantoras da região Sul Fluminense e as vencedoras são Ciça Reis, Dudda Olive e Jess Araujo, que assumem a responsabilidade de seguir o legado, a arte e todo o glamour trazido pelas antigas formações, que se tornaram referência por serem o único grupo musical brasileiro formado apenas por mulheres negras a conquistar projeção midiática no país.

– Minha história com As Sublimes já tem vinte e sete anos. Iniciou quando a primeira formação foi lançada. Eu era fã. Com o tempo conheci as antigas cantoras, que sempre me encheram de carinho. Daí, tornei-me proprietário da marca, passamos um tempo com apresentações em rodízio das antigas formações e agora estamos com a nova. Foi uma forma de abrirmos mais uma oportunidade de trabalho para artistas da região e todo mundo está aprovando a ideia. As novas cantoras foram bem recebidas pelo público nas redes sociais e já iniciamos os trabalhos – detalha Rodrigo Hallvys, que teve apoio cultural do Gacemss para o anúncio das novas Sublimes.

Agora, as cantoras passarão quatro meses tendo aulas de harmonização vocal, dança, intepretação, FitDance para trabalhar o cardiorrespiratório e a sincronia entre canto e dança, Língua Portuguesa para redes sociais, Línguas Inglesa e Espanhola, etiqueta, modelagem, maquiagem e simulados de entrevistas para criar estrutura emocional e fôlego para enfrentarem agenda de shows. “Elas já harmonizam naturalmente e isso emocionou a equipe inteira que estava presente na audição final. O trabalho de harmonização que está acontecendo é para abrir ainda mais a voz de cada uma, Elas estão nas mãos de Cláudio Quirino, que é um profissional de quilate e já começou o processo de construção”, comenta Rodrigo.

Repertório de shows, figurinos, arranjos musicais e novas músicas já estão sendo preparadas e ainda neste ano As Sublimes trarão sua arte a público de forma oficial. Enquanto isso o público pode acompanhar tudo através do Instagram @assublimes e do site www.assublimes.com.br


Portal Olho Vivo - 11/01/2020 - Cena alternativa

RH Soluções Artísticas inicia 2020 com novidades
Produtora começa o ano com a estreia da 2ª temporada do Pequenas Leituras no Premium Café Brasil,
workshop de ritmo cênico e ensaios para a Maratona Cultural do OLHO VIVO

Foto: Divulgação/ Thiago Giaccomeli


Cláudio Alcântara

Dois mil e vinte um já começou com a agenda cheia para a RH Soluções Artísticas, que abre mais uma frente de trabalhos para seus produtos. A produtora encerrou o mês de dezembro anunciando a nova formação do trio As Sublimes e as cantoras selecionadas são Ciça Reis, Dudda Olive e Jess Araújo.

Com apoio cultural do Gacemss, a audição final contou com a presença das famílias das candidatas e dos profissionais que compõem a equipe do projeto Escola Sublime, idealizado pela produtora para preparar as cantoras para serem lançadas em mídia nacional.

- Serão quatro meses onde elas terão aulas de harmonização vocal, embora elas já harmonizem muito bem, para abrir mais as vozes, dança, intepretação, fitdance para trabalhar o cardiorrespiratório e a sincronia entre canto e dança, língua portuguesa para redes sociais, línguas inglesa e espanhola, etiqueta, modelagem, maquiagem e simulados de entrevistas para criar estrutura emocional e fôlego para enfrentarem agenda de shows - detalha Rodrigo Hallvys, proprietário da marca que leva o nome do grupo e da RH Soluções Artísticas.

Rodrigo comenta a reação do público até o momento.

- Quando anunciamos que haveria seleção para a nova formação, tivemos apoio dos fãs que, como eu, acompanham a história das Sublimes desde 1993, quando a primeira formação foi lançada. Tivemos apoio das próprias cantoras que já fizeram parte das formações anteriores. Atrasamos o processo seletivo para evitarmos problemas trazidos com a pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e conseguimos cumprir o objetivo de definirmos a nova formação ainda em 2020. Tivemos um apoio extraordinário dos fãs ao anunciarmos as integrantes e tudo está emocionante - declara.

Com figurinos já desenhados, repertório de show decidido e sessões de foto agendadas, as cantoras iniciaram a frequência no Escola Sublime no dia 3 de janeiro e em breve estarão lançando músicas novas do trio.

- Há muita coisa boa sendo preparada. As Sublimes foi o único grupo brasileiro só de mulheres negras a alcançar sucesso, teve uma explosão midiática fantástica e tornou-se referência para meninas afrodescendentes na década de 90. Estamos criando toda essa nova estrutura, respeitando e mantendo o legado que conquistou e marcou tanta gente. Será algo definitivamente sublime - derrete-se Hallvys.

Foto: João Paulo Cardeal



Quem é quem na nova formação

. Jess Araújo - É de Volta Redonda e tem 22 anos. Formada em educação física. Entre 6 anos de idade até os 15, frequentou o projeto Cidade da Música, da prefeitura. Lá, aprendeu a tocar violino, viola clássica, pífaro e alguns instrumentos de percussão.

. Dudda Olive - É a mais nova do grupo, com 18 anos, e mora com a família em Volta Redonda. Terminou o 2°grau e sempre gostou de cantar. Toca instrumentos de percussão.

. Ciça Reis - Tem 26 anos e mora em Barra Mansa. Cantora, percussionista, professora e compositora. Tem 12 anos de carreira musical. Graduada em licenciatura em música, formada em 2015 pelo UBM (Centro Universitário de Barra Mansa).

> Assessoria: Emiliano Macedo



Jornal A Voz da Cidade - 07/01/2021 - Caderno Principal (página 02)


Nova formação do trio 'As Sublimes' foi escolhida no Sul Fluminense

Foto:
Divulgação/Thiago Giaccomeli

Franciele Aleixo

Após dois meses em audições para a busca de cantoras para a nova formação do famoso trio 'As Sublimes', a RH Soluções Artísticas anunciou, no dia 27 de dezembro, as finalistas selecionadas em um momento que gerou emoções nos profissionais presentes.

Rodrigo Hallvys, detentor da marca registrada que leva o nome do trio, escolheu o trio composto por Ciça Reis (26 anos/Barra Mansa), Dudda Olive (18 anos/Volta Redonda) e Jess Araújo (22 anos/Volta Redonda), que mostraram harmonia vocal cantando quatro faixas musicais "a capela" e ainda criaram coreografias para cada faixa, deixando os profissionais presentes encantados."
Foi emocionante. Havia apenas três semanas que elas se conheciam e criaram uma cumplicidade vocal muito boa. Foi notória construção. Chegaram com coreografias, arranjos vocais e encantaram os profissionais que estavam acompanhando. Saímos todos satisfeitos com o trabalho apresentado", detalha Rodrigo Hallvys, que começou sendo fã da primeira formação, acompanhou a segunda e tornou-se proprietário da marca.

Com vestidos dourados, elas iniciaram a apresentação cantando um medley que uniu as músicas "Stop! In the name of love" (The Supremes), "Be My Baby" (The Ronettes) e "Dancing in the street" (The Vandellas), seguiram com "Eu não vou" (música composta pelas antigas Sublimes e que fez sucesso ao ser gravada pelo grupo Fat Family), depois cantaram "Me superar" (versão de Rodrigo Hallvys para a música "Absolutely not", lançada por Deborah Cox) e encerraram com "Boneca de fogo" (música que lançou a primeira formação das Sublimes ao estrelato, em 1993).

Com o isolamento social gerado pela pandemia do novo coronavírus, as inscrições foram estendidas e as audições acabaram acontecendo o nos últimos meses de 2020. O processo seletivo aconteceu em três etapas: período de inscrições (de março a outubro), audições individuais para conhecimento de timbres e personalidades das vozes (em novembro) e audições em trios (durante o mês de dezembro).

Ele explica que, antes das cantoras virem a público com novo trabalho, passarão quatro meses frequentando o projeto "Escola Sublime", que será ministrado por profissionais de diversas áreas para prepararem as cantoras para a mídia nacional. O projeto já teve início e envolve harmonização vocal, dança, interpretação, Língua Portuguesa para redes sociais, Línguas Inglesa e Espanhola, modelagem, etiqueta, Fit Dance para cardiorrespiratório e sincronia corporal, maquiagem, simulado emocional e comportamental para imprensa.

Segundo Hallvys, o repertório do show de lançamento já está definido, os figurinos já foram desenhados e as próprias cantoras que já fizeram parte do trio (Isabel Fillardis, Karla Prietto, Lilian Valeska e Flávia Santana) se alegraram ao ver o vídeo que a nova formação fez em homenagem a elas. "Foi tudo emocionante. Acompanho tudo relativo às Sublimes há vinte e sete anos e estamos podendo ver uma nova formação se empenhando para fazer jus ao legado. Alegrias e arrepios que estão nos deixando contentes. Tudo sendo preparado por profissionais escolhidos a dedo para trazer a público um show espetacular", comenta.

Enquanto isso o público já pode acompanhar as redes sociais através do link @assublimes e do site www.assublimes.com.br



Jornal Diário do Vale - 18/01/2020 - Coluna Social Mário Sergio


Sala vip

Foto: Arquivo




Jornal A Gazeta - 17/01/2021 - Famosos


Ator Rodrigo Hallvys faz uma análise de sua carreira
durante a pandemia no Sul Fluminense

Fotos:
Divulgação /Jana Machado

 

Ele é de Volta Redonda, mas atrai a atenção de estudantes de teatro de todo o país. Diretor da RH Soluções Artísticas, Rodrigo Hallvys coleciona, ao longo de sua carreira, diversas conquistas entre as celebridades, o que faz com que muitos jovens e adolescentes, que se espelham em seu trabalho, procurem seus cursos e workshops.

Rodrigo iniciou nas artes cênicas quando tinha 9 anos. Começou como ator, função na qual teve seu primeiro registro profissional. O tempo foi passando, ele começou a roteirizar e preparar elenco, se profissionalizando na função de diretor com apenas 22 anos de idade. Rodrigo Hallvys é autor dos livros ‘O dia D’, ‘Epitáfio do amor’ e ‘Tatos e digitais’. Esse último, publicado em 2020, tornou-se assunto em uma revista nos Estados Unidos, a “Wow Magazine”, os livros são todos integrantes de uma quadrilogia que será encerrada em 2021 com o livro ‘Nossas vidas’.

Rodrigo também compõe, mas a surpresa para muitos é sua atitude inusitada, o rapaz tornou-se fã do grupo trio musical “As Sublimes”, no início da década de 90, quando elas lançaram seu primeiro disco, com a música “Boneca de Fogo”. Ele acompanhou as mudanças nas formações, o lançamento do segundo álbum e a interrupção durante o terceiro. Prometeu para si mesmo que não deixaria a história do grupo morrer e, anos depois, adquiriu a marca registrada que leva o nome do grupo, reuniu todas as cantoras que já fizeram parte do mesmo (Isabel Fillardis, Lilian Valeska, Karla Prietto e Flávia Santana), apoiou um período de apresentações delas e encerrou 2020 produzindo as audições que culminaram na nova formação do trio, que será lançado ainda este ano.

“Sou considerado fora da caixinha. Vi muita coisa mudando a minha volta apenas pela presença das Sublimes na mídia. Elas foram o único grupo brasileiro formado apenas por mulheres negras a conseguir alcançar tal projeção midiática. Vi de perto pessoas se sentindo representadas por elas. Isso é uma questão social e mexeu comigo, sem contar que amo black music cantada por grupos femininos”, ressalta Rodrigo.

Mais detalhes podem ser encontrados no site do ator: www.rodrigohallvys.com.br



Tribuna Sul Fluminense - 18/02/2021 - Famosos


A nova formação do trio "As
Sublimes" é do Sul Fluminense

Foto:
Divulgação /João Paulo Cardeal


Elas são do Sul Fluminense! A nova formação do trio "As Sublimes" já começou o período de sessões fotográficas dentro do projeto 'Escola Sublime'. As integrantes Ciça Reis, Dudda Olive e Jess Araújo estiveram no estúdio da Cardeal Produções, em Volta Redonda, e foram clicadas pelo fotógrafo João Paulo Cardeal para um evento que participarão em breve. Orgulhoso, Rodrigo Hallvys, proprietário da marca registrada e da RH Soluções Artísticas, está que é só sorriso.

 



Foram dois meses de audições. Um com audições individuais e o outro já em trios. A RH Soluções Artísticas anunciou em março do ano passado a abertura das inscrições para o processo seletivo que buscava trazer a nova formação do trio 'As Suiblmes', que fez sucesso nos anos 90 e teve Isabel Fillardis, Karla Prietto, Lilian Valeska e Flávia Santana em suas primeiras formações. Agora, Rodrigo Hallvys, proprietário da RHSA e detentor da marca registrada que leva o nome do grupo, decidiu abrir oportunidade para cantoras da região Sul Fluminense e as vencedoras são Ciça Reis, Dudda Olive e Jess Araújo, que assumem a responsabilidade de seguir o legado, a arte e o todo o glamour trazido pelas antigas formações,qu e se tornaram referência por serem o único grupo musical brasileiro formado apenas por mulheres negras a conquistar projeção midiática no país.

Agora, as cantoras passarão quatro meses tendo aulas de harmonização vocal, dança, interpretação, FitDance para trabalhar o cardiorrespiratório e a sincronia entre canto e dança, Língua Portuguesa para redes sociais, Línguas Inglesa e Espanhola, etiqueta, modelagem, maquiagem e simulados de entrevistas para criar estrutura emocional e fôlego para enfrentarem agenda de shows. "Elas já harmonizam naturalmente e isso emocionou a equipe inteira que estava presente na audição final. O trabalho de harmonização que está acontecendo é para abrir ainda mais a voz de cada uma e elas estão nas mãos de Cláudio Quirino, que é um profissional de quilate e já começou o processo de construção", comenta Rodrigo.

Repertório de shows, figurinos, arranjos musicais e novas músicas já estão sendo preparadas e ainda neste ano As Sublimes trarão sua arte a público de forma oficial. Enquanto isso o público pode acompanhar tudo através do Instagram @assbulimes e do site www.assublimes.com.br

 



Jornal Diário do Vale - 19/02/2020 - Coluna Social Mário Sergio


Foto: João Paulo Cardeal



Revista Por Aqui - 19/02/2021 - Cultura


Grupos teatrais do Sul Fluminense estão otimistas
com o retorno às atividades e ensaios

Foto:
Divulgação /Tamyris Vieira

Portal Fábio Soares Vip - 19/02/2021 - Hotinhas


Foto:
Divulgação /João Paulo Cardeal


Revista Por Aqui - 21/02/2021 - Hotinhas


Foto:
Divulgação /João Paulo Cardeal


Revista Por Aqui - 21/02/2021 - Famosos

Nova formação do trio As Sublimes participa de sessão fotográfica

Foto: Divulgação /João Paulo Cardeal


Jornal A Voz da Cidade - 24/02/2021 - Coluna Fábio Soares

Novo ensaio

Foto: Divulgação/João Paulo Cardeal


A Gazeta - 25/02/2021 - Famosos

Grupo Cenico Estudarte se prepara para evento virtual
em comemoração aos seus 18 anos de fundação e premiada trajetória

Foto: Divulgação /Tamyris Vieira


Portal Sul Flumiense em pauta - 06/04/2021 - Teatro

Maioridade teatral

Foto: Divulgação /Tamyris Vieira


Jornal Diário do Vale - 08/04/2021 - Mário Sergio

Imortais
Foto: Divulgação /Thiago Giaccomeli


A Gazeta - 08/04/2021 - Cultura

Ator e escritor Rodrigo Hallvys conquista uma cadeira
na Academia Volta-Redondense de Letras
Foto: Divulgação /Thiago Giaccomeli
A informação foi divulgada nesta terça-feira, dia 6, no site oficial da AVL. Através de uma assembléia ordinária, feita pelo comitê, de forma remota, a academia elegeu, além de Rodrigo, a escritora Aline Brasil Quadros.

Na eleição, além dos dois membros nomeados de forma efetiva, a Academia também elegeu oito novos membros correspondentes, ocupando as cadeiras na ordem de 7 a 14.

Aline e Rodrigo vão ocupar as cadeiras 35 e 36 respectivamente e os novos “imortais” receberam a notícia com muita alegria. Por enquanto não há previsão para cerimônia de posse devido ao período pandêmico, mas os novos acadêmicos eleitos já estão autorizados a participar das reuniões remotas da Academia.

Abaixo estão os escritores correspondentes eleitos:

Cadeira 7 – Alexandre Gomes – Resende – RJ

Cadeira 8 – Claudia Lundgren – Teresópolis – RJ

Cadeira 9 – Edmilson Naves de Oliveira – Resende – RJ

Cadeira 10 – Giovani Miguez – Rio de Janeiro – RJ

Cadeira 11 – Lucia Araújo – Pinheiral – RJ

Cadeira 12 – Mauri Alves da Silva – Embu das Artes – SP

Cadeira 13 – Robson Chaves – Barra Mansa – RJ

Cadeira 14 – Rogerio Veiga Jr – Rio de Janeiro – RJ



Portal Olho Vivo - 13/04/2021 - Literatura & Cia.

Rodrigo Hallvys - O desafio de ser eleito para a AVL
Envolvido com arte/cultura, ele diz que entrar para a Academia Volta-redondense de Letras não é um sentimento de ponto de chegada, mas de ponto de partida
Foto: Divulgação /Thiago Giaccomeli

“Não é uma sensação de conquistar algo, porque talvez isso seria tomar propriedade, mas sim de fazer parte de algo; de ser aceito em uma instituição que representa letramento”
     
  Jean Carlos Gomes

A AVL (Academia Volta-redondense realizou em 5 de abril, às 19h, de forma remota, a assembleia ordinária, quando foram eleitos os novos integrantes, conforme os editais de vacância 2019 e 2020. Foram eleitos dois efetivos, escritores residentes em volta Redonda:

. Cadeira 35 (antes ocupada pelo saudoso pastor e escritor Nilson Dimarzio) - Aline Brasil Quadros (professora e escritora);
. Cadeira 36 - Rodrigo Hallvys.

Também foram eleitos oito novos correspondentes:

. Cadeira 7 - Alexandre Gomes - Resende - RJ
. Cadeira 8 - Claudia Lundgren - Teresópolis - RJ
. Cadeira 9 - Edmilson Naves de Oliveira - Resende - RJ
. Cadeira 10 - Giovani Miguez - Rio de Janeiro - RJ
. Cadeira 11 - Lucia Araújo - Pinheiral - RJ
. Cadeira 12 - Mauri Alves da Silva - Embu das Artes - SP
. Cadeira 13 - Robson Chaves - Barra Mansa - RJ
. Cadeira 14 - Rogerio Veiga Jr - Rio de Janeiro - RJ

Raio-X Literário

. Quem é Rodrigo Hallvys - Graduado em teatro pelo UGB (2010), com pós-graduação em arte e produção cultural no Brasil pela Universidade Veiga de Almeida (2015) e gestão cultural pela Uniff (University of informatics and Faith in Florida/United States of America), em 2021. Iniciei meu envolvimento com o teatro quando tinha 9 anos, na função de ator, e na adolescência comecei a experimentar direção teatral, profissionalizando-me no início da vida adulta em ambas as funções. Tive oportunidade de experimentar atuação em televisão e cinema; canto, composição musical, artes gráficas... E por fim abri minha própria empresa, a RH Soluções Artísticas, em 2012. Trabalho em três frentes: teatro (com foco em produtos vinculados ao Grupo Cênico Estudarte); música (com foco no grupo musical As Sublimes); e na literatura (com publicação e lançamento de livros). Estou preparando a publicação de “Nossas Vidas”, encerrando uma quadrilogia de livros que se iniciou em 2018, e tive poemas publicados em obras como a “III Antologia de Poesia Brasileira Contemporânea” (lançada na Europa e África) pela Chiado Books (2018) e da “VII Coletânea Viagem pela Escrita”, da PoeArt Editora. Parece ser algo confuso, mas a vida foi trazendo questões que me fizeram reparar frentes distintas dentro do que dizemos produção cultural, então procurei administrar cada uma delas a uma determinada época para conseguir aprender com todas.

. Agora integrante efetivo da AVL - Sinto-me honrado! Muito mesmo! Não é uma sensação de conquistar algo, porque talvez isso seria tomar propriedade, mas sim de fazer parte de algo; de ser aceito em uma instituição que representa letramento. Não é um sentimento de ponto de chegada, mas de ponto de partida, sabe? De um caminho que não vou trilhar sozinho, creio. E isso é reconfortante. Sentimento de gratidão.

. Autores prediletos - Por incrível que pareça não sou muito focado em figuras, costumo dar atenção para discursos e abordagens de contextos das obras. Tenho um gosto um tanto eclético por escrita. Todos nós fazemos trabalhos que são bons e outros que não são, e isso nos leva a repensar alguma melhoria, creio. Então poderia ser injusto tentar destacar pessoas.

. Paixões, medos e desafios durante e pós-pandemia - Sempre tive paixão por escrever, principalmente dramaturgia. Meus pais me alfabetizaram dentro de casa, antes de eu passar pela alfabetização na escola, porque eu queria ler por conta própria quando era pequeno. Meus pais sempre leram muito e isso foi um ótimo exemplo que deram aos filhos. Gosto muito de colher referências, então tenho costume de analisar a fluidez de textos do gênero dramatúrgico para conhecer seus ritmos, profundidades e dinâmicas. Não sei se tenho algum medo, até porque fiz todos os trabalhos que eu muito quis na vida. Quanto ao pós-pandemia espero que seja pautado com reflexão sobre o quanto os extremismos são prejudiciais. Extremidades corrompem a balança do equilíbrio e o momento pandêmico me parece ser um sinal gritante de como a existência da espécie vem desequilibrada há séculos.

. Papel de uma academia e importância da cultura - Creio que o papel seja a responsabilidade de estimular e assegurar que o nicho ao qual ela representa se mantenha em produção, circuito e possibilidade de consumo cultural para a própria sociedade/comunidade da qual a academia está inserida. Entramos em uma época na qual temos uma quantidade enorme de informações a ser consumida por um dia que não a comporta. Filtrar as informações sem se basear apenas em gosto pessoal é um desafio, e manter a qualidade técnica das comunicações (dentre elas, o letramento) é muito necessário.

. Mensagem para quem quer iniciar-se na escrita - Ler! Conhecimento não ocupa espaço, mas lhe dá oportunidade de abrir portas e mentes, inclusive (e principalmente) do próprio escritor. É um ato de reflexão de contextos e exercício da criatividade.